Paroles de Alma perdida

Luís Gil Bettencourt

pochette album Alma perdida
Voir sur Itunes

sonnerie téléphone portable pour Alma perdida

Peguei-lhe o silêncio deste convento
Olhando o ruído, porta aberta pelo vento
De repente sinto os teus olhos nos meus
Perdão, estou sonhando, falando sozinho

Sozinho

Sentir no singular uma dor
Sentir os teus lábios, os meus lábios aos teus
Como o bater de certa onda perdida
Areias sem fim, falando sozinho

Sozinho

Velho sozinho, tirado no tempo
Alma partida, semeada no vento
Entre o céu e a terra, há pouca distância
Vou guardar teu beijo na minha infância

Minha emoção proibida no tempo
Minhas lágrimas são grades, guardando o meu rosto
E dos meus olhos revejo horizontes
Areias, muralhas sem fim, em fim

Sozinho

Velho sozinho, tirado no tempo
Alma partida, semeada no vento
Entre o céu e a terra, há pouca distância
Vou guardar teu beijo na minha infância

Velho sozinho, tirado no tempo
Alma partida, semeada no vento
Entre o céu e a terra, há pouca distância
Vou guardar teu beijo na minha infância

Minha emoção proibida no tempo
Minhas lágrimas são grades, guardando o meu rosto
Velho sozinho, tirado no tempo
Alma partida, semeada no vento

Les autres musiques de Luís Gil Bettencourt